21 de June, 2020

O ciclo da vinha

Antes de podermos apreciar o resultado final de um bom copo de vinho, a videira passa por um ciclo vegetativo, até alcançar o seu amadurecimento. Todos os anos, a história repete-se. O circuito da Vitis...

Antes de podermos apreciar o resultado final de um bom copo de vinho, a videira passa por um ciclo vegetativo, até alcançar o seu amadurecimento. Todos os anos, a história repete-se.

O circuito da Vitis Vinifera

Parreira, trepadeira, videira ou Vitis Vinifera, todas elas são sinónimos de cultivação e produção de vinho na Europa. Mas até chegar a nascer o fruto tão desejado – a uva, a videira já conhece bem o longo caminho que terá que percorrer.

Podemos chamar-lhe de ciclo da vida e dura, normalmente, 11 meses (dependendo de diversos factores tais como, o clima). É durante este período que a Vitis dá o seu melhor para que no final, possamos saborear o resultado do seu esforço.

Pelo longo e árduo caminho, a videira conta com a ajuda de várias mãos. Viticultores e produtores de vinho ajudam-na em cada etapa com bastante rigor, até à chegada dos seus frutos de excelência que, no futuro se irão transformar (se tudo correr bem) num vinho de qualidade.

Tudo começa com um “choro”

É mais difícil do que parece e são diversas as etapas onde a videira terá que provar o seu valor. O fim do inverno e o início da primavera marcam o início desta maratona e tudo começa com um “choro”.

Quase como um bebé, a videira acorda do seu tempo de repouso e “chora”, isto é, começa a deitar seiva nas zonas que foram podadas durante o inverno. É esta a sua forma de demonstrar que está pronta para um novo desafio, para um novo ciclo vegetativo e é então, nesta altura, que começam a brilhar os seus primeiros rebentos. 

(A)floração e maturação

Depois de dar à luz os primeiros rebentos e folhas, surgem os primeiros botões da flor da videira. É durante esta etapa crucial que, dura normalmente 1 semana e meia, que as flores são libertadas e fecundadas. Com o pólen no ar, dá-se a floração dos pequenos rebentos que, no futuro, irão transformar-se nos tão aguardados bagos de uva.

Fecundada e já com os seus belos cachos de uvas, a videira segue para a etapa da maturação, fase em que os bagos crescem, alteram e transformam a sua composição química (equilibram a sua acidez e dão o seu melhor para não apodrecer).

O “pintor”

Bago a bago, os cachos da videira vão crescendo, começam a pintar-se e enchem-se de cor. É com o aparecimento desta etapa, à qual chamamos de “pintor”, que se marca o início do processo de maturação.

Depois de feitas as pinturas, é altura do período mais importante do ano vitícola: o amadurecimento, que ocorre durante os 60 dias seguintes. Uma espera longa mas bastante importante, pois é nesta altura que é definida a qualidade da uva e a posterior qualidade final do vinho.

O fim da maturação das uvas é assinalado com a tão aguardada etapa final: a vindima, que pode ser realizada no final no Verão ou no início do Outono. Depois de atravessar a meta final e concluir o longo e trabalhoso ciclo da vinha, é altura de pôr novamente as mãos na massa, preparar um novo ano e repetir todo o processo.

Podar e esperar

Depois da poda feita, é tempo de estrumar e revolver a terra. Posto isto, esperamos ansiosamente, de dedos cruzados e com os olhos postos no futuro, pelo começo do crescimento da videira e das tão aguardadas uvas.

Depois da poda feita, é tempo de corrigir organicamente e revolver a terra.